• Element
  • Element
Skyynet

Conheça mais sobre a

Skyynet.

Monitoramento eletrônico: saiba quais são os disfarces mais utilizados por ladrões

Temos diversas opções quando o assunto é monitoramento eletrônico, que visam proteger o patrimônio e as pessoas em determinado espaço. Por outro lado, infelizmente temos o “trabalho” de ladrões que não se cansam na hora de criar formas de disfarces para se safar desses recursos.

São máscaras que atrapalham o reconhecimento facial, uniformes de trabalho ou escolas que ajudam a entrar no ambiente sem problemas, enfim. Por causa disso precisamos estar atentos para as mais recentes ideias que esses bandidos têm na hora de invadir espaços monitorados.

Continue a leitura para saber quais as estratégias que esses ladrões têm usado para invadir espaços!

O ladrão se disfarça de falso morador ou trabalhador do espaço


O falso morador é muito comum em caso de condomínios, porque o ladrão pode fingir estar atrasado e convencer porteiros a liberar a sua entrada, por exemplo. Nesse caso pode existir o trabalho de dois bandidos, sendo que um liga para a portaria com urgência para liberar o suposto morador que está aguardando autorização.

Essa entrada também pode ser pela garagem, situação em que o ladrão está de carro, fingindo que esqueceu a chave ou controle do portão eletrônico. Ele usa um carro parecido com os modelos que já percebeu que os moradores têm, a partir de vigilância antes do roubo e acaba enganando porteiros.

Outra tática mais simples é adotar uma roupa mais arrumada para fingir que mora no local, como acontece em condomínios de luxo. Assim, o bandido coloca um terno, por exemplo, pode estar com sacolas de supermercado ou mesmo guarda-chuva na mão e pede ajuda aos funcionários do condomínio.

Isso vale tanto para condomínio residencial quanto comercial, quaisquer prédios que tenham esse formato de portaria. Porque os bandidos conseguem criar esses personagens para entrar sem problemas e roubar a sala ou apartamento que for mais fácil.

O estudante fake também é comum para passar pelo monitoramento eletrônico


A tática do estudante fake é outro recurso dos bandidos, nesse caso eles podem agir em grupo, todos muito jovens com uniformes escolares e mochilas nas costas. Entram conversando e sorrindo, então, fingem estar em busca de um amigo que more no prédio.

Essa ideia acaba funcionando porque muitos colaboradores não desconfiam de crianças e adolescentes. Por isso quando ladrões muito jovens adotam essa prática conseguem enganar facilmente, entrando e saindo sem despertar suspeitas.

Também há falso bombeiro ou policial


Como se não bastasse fingir ser moradores e estudantes, os ladrões também podem fingir ser bombeiros ou policiais. Isso mesmo! No caso dos bombeiros, mentem dizendo que precisam fazer algum tipo de inspeção, o que acaba sendo comum em muitos espaços.

A autoridade do policial é outra ferramenta para ladrões que conseguem até se vestir como um policial. Ele mente dizendo que recebeu um chamado daquele espaço e consegue entrar facilmente. E a criatividade dos bandidos não acaba por aí, eles podem aparecer com uniformes dos correios, além de funcionário de operadora de telefonia ou TV a cabo, criando alguma narrativa para entrar.

E ainda temos os falsos trabalhadores de concessionárias de serviços

Esses são os mais perigosos, pois se disfarçam de prestadores de serviço de concessionárias (água, luz, telefonia, correio, etc). Como geralmente vêm disfarçados com os uniformes da empresa, os moradores ou responsáveis de segurança, permitem a entrada sem questionamento.

Os prestadores de serviço de luz ou água dificilmente necessitam entrar na residência ou condomínio para verificações. No caso de condomínios, antes de permitir a entrada é importante conferir com a empresa responsável.

Os técnicos de telefonia geralmente têm hora agendada com a operadora. Se aparecer um técnico sem hora marcada, desconfie!

E para os carteiros/entregadores do Correio, caso não esteja esperando nenhuma encomenda, confirme o nome do destinatário e do remetente antes de abrir o portão.

Saiba como orientar e promover recursos para os colaboradores


Além do treinamento comum para atuar na portaria, é importante trazer recursos para os colaboradores ficarem atentos a esses ladrões. Bem como a criatividade dos bandidos, preciso utilizar de modernos recursos como botão de pânico ou supervisor eletrônico.

Quanto mais instruções e ferramentas os porteiros tiverem mais fácil será identificar os ladrões. Além disso, em caso de sinistro esses equipamentos fornecem dados valiosos para burocracia com seguro ou mesmo envio de imagens para a polícia.

São todas situações que preocupam, porque as táticas enganam facilmente colaboradores de portarias de prédio, por exemplo. A melhor chance, então, é adotar cada vez mais medidas de monitoramento eletrônico, com recursos mais modernos e que podem impedir essas ações.

Afinal, os botões de pânico, supervisor eletrônico e o videomonitoramento, por exemplo, colaboram para trazer opções para os funcionários do prédio anteciparem as ações. É possível, dessa forma, acionar ajuda para lidar com esse tipo de sinistro.

Se precisar de mais informações sobre nossas ferramentas é só entrar em contato, vamos oferecer soluções para evitar esses problemas.

  • 1654 Visualizações

Fernando Segalla

Engenheiro eletrônico, CTO e cofundador da Skyynet. Churrasqueiro e chef do Canal Empório Lab.

Publicações relacionadas

Veja nosso sistema funcionando